U.S. Food and Drug Administration

O que é o cloridrato de metilfenidato de libertação prolongada?

O cloridrato de metilfenidato de libertação prolongada (ER) é um fármaco aprovado pela FDA para tratar a perturbação do défice de atenção e hiperactividade (ADHD) em adultos e crianças com seis anos ou mais. Concerta é uma marca de comprimidos de cloridato de metilfenidato ER. Concerta é fabricada e comercializada pela Janssen Pharmaceuticals, Inc.

Quais são as versões genéricas de Concerta?

Versões genéricas comprovadas de Concerta são fabricadas pela Mallinckrodt e UCB/Kremers Urban (antiga Kudco). Janssen também fabrica um genérico autorizado de Concerta, que é comercializado pela Actavis ao abrigo de um acordo de licenciamento. Embora seja comercializado pela Actavis como um genérico e não sob a marca Concerta, o medicamento Actavis é idêntico ao Concerta da Janssen.

Quando os produtos genéricos Mallinckrodt ou UCB/Kremers Urban foram aprovados pela FDA?

Mallinckrodt recebeu a aprovação da FDA do seu novo pedido abreviado de medicamento (ANDA) a 28 de Dezembro de 2012, para as potências de 27, 36, e 54 miligramas.

Kudco (agora UCB/Kremers Urban) recebeu a aprovação da FDA do seu ANDA em 9 de Julho de 2013, para as dosagens de 18 e 27 miligramas, e 23 de Setembro de 2013, para as dosagens de 36 e 54 miligramas.

Como podem os doentes descobrir que empresa fabricou o seu produto ER de cloridrato de metilfenidato?

Anyone com perguntas ou preocupações sobre o local onde o seu produto ER de cloridato de metilfenidato foi fabricado deve contactar a farmácia onde a prescrição foi preenchida.

O cloridrato de metilfenidato genérico ER fabricado por Mallinckrodt ou UCB/Kremers Urban será retirado do mercado ou recolhido?

FDA solicitou que dentro de seis meses, Mallinckrodt e Kudco (agora UCB/Kremers Urban) confirmassem a bioequivalência dos seus produtos utilizando as normas revistas de bioequivalência, ou retirassem voluntariamente os seus produtos do mercado. A FDA alterou a classificação de equivalência terapêutica (TE) para os produtos de ambas as empresas em Approved Drug Products with Therapeutic Equivalence Evaluations (geralmente referido como “Orange Book”) de AB para BX. Isto significa que os dados são insuficientes para mostrar que os produtos proporcionam o mesmo efeito terapêutico que a Concerta (ou o genérico autorizado comercializado pela Actavis). Um medicamento com uma classificação BX ainda é aprovado e pode ser prescrito, mas não é recomendado como automaticamente substituível na farmácia (ou por um farmacêutico) pelo medicamento de marca.

Outras versões genéricas do cloridrato de metilfenidato Concerta ER disponíveis no mercado?

Actavis continua a comercializar uma versão genérica autorizada do Concerta da Janssen ao abrigo de um acordo com a empresa de marca. Este produto é chamado “genérico autorizado” porque é fabricado pela empresa de nome de marca, mas é comercializado como genérico. O produto genérico Actavis é idêntico ao da Janssen’s Concerta, de marca. A FDA não identificou preocupações com os produtos Actavis ou Janssen.

Esta acção afecta outros produtos ER de cloridrato de metilfenidato actualmente aprovados (por exemplo, Ritalin LA)?

Não. Esta acção apenas diz respeito aos medicamentos genéricos que fazem referência à Concerta. Não afecta outros produtos ER com cloridrato de metilfenidato.

Como é que a FDA se preocupou com o facto de os comprimidos ER de cloridato de metilfenidato Mallinckrodt e Kudco (agora UCB/Kremers Urban) poderem não ser terapêuticamente equivalentes?

FDA começaram a receber relatórios de falta de efeito associados aos produtos ER genéricos de cloridato de metilfenidato Mallinckrodt e Kudco (agora UCB/Kremers Urban) pouco depois da aprovação inicial de cada produto, em Dezembro de 2012 e Julho de 2013, respectivamente. Entre Maio de 2013 e Junho de 2014, a base de dados FAERS (Adverse Event Reporting System) da FDA recebeu relatórios de pacientes descrevendo um efeito terapêutico insuficiente. Havia quase 200 relatórios sobre o produto Mallinckrodt e mais de 100 relatórios sobre o produto Kudco (agora UCB/Kremers Urban).

Embora o número total de relatórios de falta de efeito com estes dois produtos seja muito pequeno em comparação com a utilização global dos produtos, a FDA avaliou o número total de queixas para estes dois produtos genéricos relativamente ao nome da marca e produtos genéricos autorizados e encontrou um número substancialmente maior de queixas para os dois produtos genéricos – o que levou a FDA a investigar esta questão.

Após aprendizagem das preocupações com os produtos, o Office of Generic Drugs da FDA realizou uma análise multidisciplinar dos produtos, que incluiu

  • Uma avaliação dos relatórios de eventos adversos
  • Uma revisão dos dados que foram submetidos com os ANDAs
  • Testes dos medicamentos em laboratórios da FDA, incluindo a estabilidade dos medicamentos e os testes de dissolução para determinar a taxa de libertação de medicamentos e a estabilidade dos dois isómeros de metilfenidato e dos seus produtos de degradação
  • Consulta interdisciplinar com médicos da FDA, farmacêuticos, químicos e outros cientistas e peritos de agências para discutir as novas informações

Por que razão a FDA não revelou esta preocupação antes de aprovar estes medicamentos genéricos?

Antes de aprovar qualquer medicamento genérico, a FDA exige muitos testes e procedimentos rigorosos, para além dos testes de bioequivalência do produto em relação ao medicamento de referência listado (medicamento de marca), para assegurar que o medicamento genérico é substituível pelo medicamento de marca. O projecto original de recomendações de orientação para os testes de bioequivalência deste produto (publicado em Setembro de 2012) foi desenvolvido utilizando a melhor informação disponível na altura da emissão. Isto incluiu, entre outras informações, uma discussão abrangente da questão por um Comité Consultivo da FDA a 13 de Abril de 2010.

Além dos testes realizados antes da entrada no mercado, uma vez aprovados, a FDA avalia regularmente e minuciosamente os relatórios de alegada inequivalência do medicamento, tais como a falta de efeito, como neste caso. Em alguns casos, tais relatórios podem levar a uma reavaliação da equivalência à luz de novas abordagens e metodologias científicas que foram desenvolvidas após a publicação inicial do projecto de orientações.

Mallinckrodt e Kudco (agora UCB/Kremers Urban) forneceram dados que cumpriam as normas de aprovação da FDA no momento da aprovação, consistentes com o melhor entendimento da FDA sobre como demonstrar a bioequivalência à Concerta. Os dados mostraram que os produtos ER de cloridrato de metilfenidato eram bioequivalentes à Concerta, com base no entendimento da FDA, na altura, de como a farmacocinética da Concerta contribuía para a eficácia terapêutica.

Outras versões genéricas de medicamentos ADHD no mercado suscitam preocupações semelhantes?

Neste momento, não há provas de que outros genéricos desta classe suscitem preocupações semelhantes. A FDA continuará o seu controlo de todos os medicamentos genéricos, e de todos os produtos no mercado, e congratula-se com qualquer informação do público sobre o desempenho dos medicamentos e quaisquer efeitos adversos.

O cloridrato de metilfenidato genérico ER fabricado pela Mallinckrodt ou UCB/Kremers Urban (antiga Kudco) será retirado do mercado ou recolhido durante o processo de retirada?

FDA propõe retirar a aprovação dos produtos Mallinckrodt e UCB/Kremers porque os patrocinadores não demonstraram que os seus produtos são bioequivalentes à Concerta ao abrigo das recomendações revistas fornecidas no projecto de orientações para a indústria.

Enquanto os procedimentos de retirada estão em curso, os produtos Mallinckrodt e Kremers ainda são aprovados e podem ser prescritos, mas não são recomendados como automaticamente substituíveis para a Concerta. Se a FDA retirar a aprovação de um produto, este já não pode ser comercializado. A FDA aprovou recentemente uma versão genérica da Concerta patrocinada pela Mylan Pharmaceuticals.

p>A FDA vai continuar a estudar os produtos genéricos de cloridato de metilfenidato ER?p>A FDA e as partes interessadas identificaram o estudo dos comprimidos genéricos de cloridato de metilfenidato ER como uma prioridade. Ao abrigo da iniciativa “Generic Drug User Fee Amendments of 2012 regulatory science”, a FDA encomendou dois estudos: um estudo de bioequivalência em voluntários adultos saudáveis examinando o produto Mallinckrodt, iniciado em Outubro de 2014 e concluído, e um estudo farmacocinético e farmacodinâmico em crianças com ADHD, iniciado em Outubro de 2014 e com conclusão prevista até Setembro de 2017. No estudo de bioequivalência concluído, verificou-se que o produto Mallinckrodt não satisfazia os critérios de bioequivalência no que respeita à Concerta.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *